20 de junho , 2019

Preocupação com o meio ambiente, sustentabilidade, otimização dos materiais devido as mudanças climáticas, impacto ambiental e meio ambiente, são questões sociais que precisam ser abordadas quando levamos em consideração a arquitetura e a construção.

Todo ser humano deveria ser consciente sobre esse assunto, a fim de diminuir esses efeitos na natureza e ainda assim, evitar desperdícios quando falamos em morar.

Nesse contexto, alguns projetos e arquitetos saíram do comum e conseguiram colocar em prática soluções inteligentes. Sejam projetos empresariais ou residenciais, confira nesta lista, dez exemplos de edifícios ecológicos, inteligentes e sustentáveis para se inspirar pelo mundo:

 

1- Bosco Verticale (Milão, Itália)

 

Localizado em Milão e projetado pelo arquiteto Stefano Boeri, o prédio Bosco Verticale (bosque vertical, em português) foi o primeiro a compor uma floresta vertical no mundo. Inaugurado em 2014, ele consiste em duas torres residenciais e compreende uma área de 2,5 hectares de vegetação exuberante no coração de uma das cidades mais poluídas da Europa. Ao todo, as varandas são cercadas por 900 árvores que medem 3, 6 ou 9 metros de altura, o que é equivalente a aproximadamente 10 mil m² de floresta.

A fachada verde proporciona um microclima que garante sombra durante o verão e passagem de luz no inverno, além de filtrar as partículas de pó que existem no ambiente urbano. Para completar o conceito sustentável, a irrigação é feita com água reutilizada da chuva e também da pia e do chuveiro dos moradores. Por fim, os sistemas de energia eólica e fotovoltaica alimentam a necessidade energética das duas torres. Fora que traz muito mais verde para a cidade, né?

 

2- Kuggen (Gotemburgo, Suécia)

Esse fantástico edifício colorido de cinco andares virou até atração turística na cidade de Gotemburgo, na Suécia. Criação do famoso escritório de arquitetura Wingårdh Arkitektkontor, o prédio sustentável tem seu formato circular inspirado no Renascimento Italiano e na roda dentada que leva o seu nome.

As cores são baseadas no degradê que podemos ver em uma única folha de árvore quando muda a estação. O mais interessante? Cada andar é um pouco fora do centro para o sul para fornecer sombra ao andar debaixo. O edifício se expande 1.500 milímetros a cada andar, dando uma impressão de movimento e dinamismo. O exterior do prédio abriga seis diferentes tons de vermelho, que referem-se à pintura industrial que anteriormente estava associada aos cais e ao porto local, e dois tons de verdes, além de ter a presença do preto como se fosse uma tela secundária. Isso significa que essas nuances mudam ao longo do dia de acordo com a luz.

O Kuggen também faz uso da tecnologia ecológica em quatro níveis diferentes: possui um sistema de ventilação e iluminação ativados por movimento, aquecimento e refrigeração interativos, além de contar com painéis solares no telhado e uma iluminação natural eficaz. A energia é utilizada apenas quando é realmente necessário e o consumo fica bem abaixo do normal (menos de 55 kWh/m² por ano).

 

3 – Bank of America, Nova Iorque (EUA)

Em Midtown Manhattan, o Bank of America tem sua arquitetura considerada como uma das mais eficientes do mundo. A maior parte das matérias-primas utilizadas na construção é vinda de fontes recicláveis e renováveis.

Durante a obra, a empresa implementou qualidade no ar interior: o que entrava no prédio era filtrado, mas o ar exaurido também era limpo, garantindo ventilação no edifício para os operários em todas as etapas da obra, o que garante até hoje para os atuais usuários do prédio.

O concreto foi composto por 45% de escória (subproduto dos alto fornos), e 55% de cimento. A redução do uso do cimento se justifica, pois na produção do material é emitido muito CO2. Para economizar energia elétrica, os interiores foram todos projetados com vidros para serem iluminados naturalmente, graças à transparência. Do chão ao teto, eles contêm o calor e maximizam a luz natural no isolamento. A torre também possui um sistema que captura a água da chuva para reutilização.

No verão de 2013, a empresa contratou a Brooklyn Grange Rooftop Farm para instalar e manter duas colmeias de abelhas no topo do edifício.

 

4 – Masdar, Abu Dhabi (Emirados Árabes)

 

A Cidade de Masdar, nos Emirados Árabes Unidos, fica a 17 km a leste-sudeste da cidade de Abu Dhabi. Considerada a “cidade do futuro”, existe como um projeto de desenvolvimento urbano executado pela companhia de energia renovável Masdar, que direcionou 15 bilhões de dólares para torná-lo o local mais sustentável do planeta.

Ao contrário de Abu Dhabi, a ideia é apresentar o urbanismo verde – algo que o mundo realmente necessita. Em construção desde 2006, com capacidade para 40 mil residentes, Masdar está sendo projetada com o objetivo de proporcionar o mais elevado nível de qualidade de vida aos seus moradores, gerando o menor impacto ambiental possível.

Masdar é 100% dependente de energias renováveis, produz zero resíduos, é livre de combustíveis fósseis e ainda persegue a meta de atingir o índice zero de emissões de dióxido de carbono.

 

Desenhada pela empresa britânica Foster and Partners, é inspirada nas cidades árabes, tem arquitetura moderna e será adaptada para andar a pé e para os ciclistas. Há vários parques naturais espalhados e os edifícios foram construídos perto uns dos outros, de forma a criar ruas e passagens estreitas abrigadas do sol.

As ruas, aliás, contam com apenas 30 a 45 minutos diários de exposição solar direta, contribuindo com o fato de que as temperaturas registradas no interior da cidade são de 10 a 15 °C a mais baixas do que em Abu Dhabi. A ideia é que tudo esteja pronto até o ano de 2030.

5 – Wat Pa Maha Chedi Kaew, Sisaket, Tailândia

 

Wat Pa Maha Chedi Kaew também é conhecido como “O Templo de um milhão de Garrafas na Tailândia” e é um lugar de culto budista moderno localizado em Khun Han, Sisaket, Tailândia. Você acredita que essa construção é feita com mais de 1 milhão de garrafas de cervejas vazias?

Pois é! Monges budistas tomaram a iniciativa de se envolver na sustentabilidade em 1984, quando sua construção começou. A coleta do material acontece há 27 anos, mas os religiosos só iniciaram a criação quando juntaram algumas centenas de garrafas, necessárias para subir a torre principal do templo.

Até agora, este templo, incluindo o crematório, as salas de oração, acomodações para os monges e até banheiros para os turistas, foram todas feitas com uma mistura de garrafas Heineken verdes e as de cerveja locais da marca Brown Chang.

Wat Pa Maha Chedi Kaew virou atração turística no país e quem conhece o edifício tem uma missão: levar garrafas de cerveja vazias, para garantir a sua ampliação!

 

6 – Ospedale dell”Angelo, Veneto (Itália)

Projetado em 2008 pelo arquiteto Emilio Ambasz, este prédio hospitalar com 117 m², o primeiro hospital verde do mundo, inova já pela sua localização: ele fica em uma área rural, mas que pode ser acessada pela autoestrada ou de trem. A ideia foi pensada de acordo com os princípios da humanização, para auxiliar na cura do paciente. Os blocos do edifício são unidos por jardins, que induzem a calma ao promover vistas agradáveis.

Um lobby ajardinado, protegido pela cobertura de vidro, traz luz natural e renova o ar interno. Graças à cobertura envidraçada, o lobby de 200 m x 26 m e pé direito de 30 metros – que funciona como uma verdadeira estufa – possui árvores, flores e plantas aromáticas. O Ospedale dell”Angelo, em Veneto, na Itália, foi idealizado pensando na melhora justa e recuperação plena do paciente: ao todo são 680 leitos, um centro de atendimento de emergência e instalações cirúrgicas avançadas.

Os quartos possuem janelas que dão vista para a vegetação e campos ao redor. O projeto foi pensado para absorver os avanços da tecnologia de saúde e seus impactos. Os visitantes entram no complexo por uma rampa verde, onde embaixo fica o estacionamento dos carros.

7 – Center for Sustainable Landscapes (CSL), Pittsburgh (EUA)

 

Os americanos também são precursores na construção de prédios verdes e não foi diferente ao criarem o conceito do Center for Sustainable Landscapes (CSL), em Pittsburgh, um dos prédios mais sustentáveis do mundo. Construído para alcançar consumo nulo de energia, a unidade produz e utiliza diferentes fontes renováveis no local com a ajuda de painéis solares, poços geotérmicos e uma turbina de vento, assim como disponibiliza  métodos de aquecimento, refrigeração e iluminação passivas.

O prédio da CSL também é conhecido por ser operado com água nula, o que significa que as águas residuais são recicladas enquanto a água da chuva é coletada, de modo que o prédio não depende da água da cidade.

E a partir da sua estrutura de aço reciclado e tapumes de madeira reaproveitados de plantas locais, o CSL é um exemplo do comprometimento com a sustentabilidade e tecnologias de construção inteligentes.

O Phipps ‘CSL também possui um telhado verde, onde os visitantes podem caminhar no jardim da cobertura enquanto as passarelas estão cheias de plantas exuberantes.

 

8 – Prédio Energisa – Sertão da Paraíba (PB)

 

O Brasil aparece em 4º lugar no ranking mundial de países com mais prédios verdes ou sustentáveis. E fora das grandes capitais (em Patos, PB) temos um projeto bem bacana: o prédio da Energisa, que prova que não é somente em grande centros urbanos que existe solução sustentável. Localizado no Sertão da Paraíba, a construção possui o selo LEED, uma das mais importantes do mundo. Essa é uma região que sofre com a falta de recursos e isso foi um dos motivos para a criação do projeto.

O terreno tem 10 mil metros quadrados, mas a área construída é de 1.902 metros quadrados. O prédio foi construído com materiais renováveis e recicláveis como, por exemplo, madeira com certificação de reflorestamento bem como tijolos cerâmico-prensados, vidros que possuem baixo fator solar e ainda telhas de alumínio com preenchimento de poliuretano para proteção térmica e acústica do ambiente, bem como um sistema de captação de água da chuva.

9 – Aeroporto de Oslo, Gardermoen (Noruega)

O edifício terminal projetado por NSW A+P Viaplan e inaugurado em 1995 está na lista das dez obras sustentáveis mais emblemáticas do mundo por apresentar em sua estrutura muitos materiais aplicados adequadamente à função que desempenham: concreto armado na compressão; madeira na flexão; treliças espaciais de aço nas conexões, metal reciclado, além de janelas panorâmicas curvas, paredes verdes e elementos de água em toda a instalação.

Com 140 mil m², possui até um depósito térmico no terminal para armazenar a neve que serve para esfriar o cais norte no verão. O terminal também é aquecido com água residual e possui aquecimento do piso. Além disso, internamente lembra as linhas de um barco e as transparências da água, como muitos dos edifícios mais recentes de Oslo.

 

10 – Fábrica da Matte Leão na Fazenda Rio Grande, Paraná

Também no Brasil, esta fábrica alcançou a certificação LEED na categoria New Construction, atestada em agosto de 2012. As medidas sustentáveis do empreendimento vão desde a sua construção até a gestão da obra sem impactos à comunidade. A fábrica da Coca-Cola (Matte Leão) perto de Curitiba usa tecnologias e medidas de eficiência energética, tem consumo eficiente da água, qualidade interna do ar e iluminação facilitada.

A fábrica responsável pela produção de chás para infusão foi erguida em um terreno de 80 mil m², tendo 20 mil m² de área construída. Cerca de 41% da área total do terreno é deixado para espaços abertos e vegetados. Outros pontos favoráveis são a área de lazer projetada para o descanso dos funcionários, espaços no estacionamento reservados para quem oferece carona aos colegas de trabalho, sistema de captação de água da chuva, além do telhado verde, considerado o maior da América Latina. Aí sim!

 

Conteúdo exclusivo FTC