28 de agosto , 2018

Cobertura exclusiva Lucila Turqueto – Casa de Valentina

 

 

Você é tão aficionado por design quanto eu ao ponto de sonhar em conhecer as mais importantes feiras internacionais, como a de Milão? Sua resposta é sim em letras garrafais, não é? E se eu te contasse que você não precisa ir muito longe para experimentar algo assim? Pois a DW! Design Weekend acontece aqui mesmo em São Paulo e é um dos eventos mais aguardados do setor – seja por profissionais ou admiradores do bom design.

Frequento a DW! desde a sua abertura, em 2012, e posso garantir que ele realmente é um festival ímpar – o maior da América Latina – que traz à cidade exposições, encontros, palestras, intervenções, lançamentos, enfim, tudo de mais bacana no que diz respeito ao universo do design urbano.

A edição deste ano começa oficialmente na quarta-feira, dia 29 de agosto, mas eu consegui começar o meu tour com um pouquinho de antecedência justamente para registrá-lo e compartilha-lo com vocês aqui no blog da Todeschini. Hoje, fui visitar três lugares superconcorridos e que sintetizam muito bem o clima da semana! Vou te mostrar tudo com detalhes, a começar pelo meu primeiro pit stop: a Villa Gabriel.

 

A Alameda Gabriel Monteiro da Silva concentra grande parte das lojas do segmento e, por isso, é um dos endereços certeiros da Design Weekend. É lá que fica a pracinha Villa Gabriel que foi completamente repaginada pela designer de interiores Cristina Barbara ganhando ares de oásis.

“Pensamos em criar um espaço para que as pessoas pudessem relaxar, tirar cinco minutos para reequilibrar as energias, observar o céu e os pássaros. Vivemos em uma rotina tão corrida e estressante que não temos mais tempo para aproveitar momentos simples como esses”, comenta Cristina.

 

Além de ser um polo para ações da DW! durante toda a semana, o espaço levanta algumas questões importantes sobre sustentabilidade. Para você ter uma ideia, muitos dos materiais utilizados na concepção dos ambientes é fruto de reaproveitamento: o revestimento cerâmico da Lepri Cerâmicas Rústicas, que cobre grande parte do solo da praça, utiliza a lama retirada da barragem de Fundão como matéria-prima.

 

 

Outra solução muito interessante e de cunho sustentável é o aproveitamento de sobras de tapetes cedidas pela By Kamy para a feitura das espreguiçadeiras, peças centrais do espaço. Como legado para a cidade, a Cristina desenvolveu um redário feito de corda em parceria com a Estar Móveis, que ficará à disposição de todos que circularem pela praça, instalado pela Engecid. “O redário é nossa forma de oferecer um pouco mais de qualidade de vida aos moradores da nossa cidade tão querida”, diz.

Da Villa Gabriel, parti para o meu segundo destino do dia: a exposição Manifesto Tramas das Artes, na By Kamy.

 

 

E olha só que interessante… a marca sempre traz ações extraordinárias para a semana de design e nesta edição surpreendeu mais uma vez! A ideia central da mostra coletiva é esquentar a discussão sobre a produção artística, assim como fez Oswald de Andrade em seu Manifesto Antropofágico. Para isso, reuniu, sob curadoria de Daniella Bauer, reproduções de obra importantes concebidas por artistas contemporâneos em tapeçaria e arazzos.

 

 

De acordo com a curadora, “A arte é uma maneira de traduzir e manifestar o que compreendemos ou não, o que enxergamos, sentimos, tocamos, cheiramos, escutamos ou intuímos o que nos revolta, o que nos cala, o que precisa ser dito. Ela é acima de tudo um modo de quebrar paradigmas e estabelecer o novo.”

Imagina só um quadro da Tarcila do Amaral todo tramado seguindo a técnica de arazzo? Nem preciso dizer que ver essas minuciosas produções de perto é mínimo impactante. O trabalho feito pelas artistas Luisa Editore, Mónica Millán e Nicole Tomazi é tão delicado que reproduzem até mesmo o movimento das pinceladas dos quadros de maneira fidedigna. Olha só:

 

 

Depois da By Kamy, fui direto para um dos eventos mais badalados desta DW: a Modernos Eternos. A mostra boutique de decoração já está na sua quinta edição e desta vez, toma conta do Studio 689 Ugo di Pace, também na Gabriel Monteiro da Silva. Ao todo, são 10 ambientes decorados por profissionais de peso seguindo o tema ‘pós-luxo”.

O bacana da Modernos Eternos é a sua proposta Mix & Match, ou seja, a mistura ousada de peças contemporâneas e antiguidades. Seguindo essa premissa, os designers e arquitetos participantes criaram ambientes arrebatadores. Vou te mostrar um por um:

 

Logo na entrada temos o Pátio Harae de Gustavo Neves em parceria com a Deca. Ao contrário do restante dos ambientes, este faz referência a um templo, oferecendo uma experiência sensorial ao visitante.

Em seguida, chegamos ao espaço assinado por Marco Aurélio Viterbo. É um ambiente bem dramático que trabalha com uma composição ousada de cores densas nas paredes e objetos imponentes.

 

De lá, caímos em meio ao maximalismo criado por de Sig Bergamim. O ambiente do arquiteto brinca com o colecionismo de uma maneira singular e fascinante. O pé-direito altíssimo de fundo vermelho vivo faz o nosso olhar percorrer as paredes de cima a baixo em busca das obras de arte mais incríveis.

 

 

Atravessando o ambiente do Sig chegamos no espaço do Murilo Lomas que traz um respiro contemporâneo à mostra. Superconceitual, o projeto brinca com texturas e cores de um jeito muito interessante – repara que cada peça de mobiliário tem uma cor diferente! – e traz obras de arte, peças importantes de design.

 

 

O ambiente seguinte é o de Luciana Teperman. A arquiteta revestiu as paredes com um belíssimo painel art déco que serviu como um guia para a composição do décor. Tecidos e texturas, misturados ao uso da madeira e do metal no mobiliário, garantiram um caráter atemporal e ousado ao living.

 

 

O primeiro ambiente do andar de cima é o do Dado Castello Branco. Chamado de Family Room, eleva o conceito de conforto à milésima potência. Entre as peças em destaques, o arquiteto ressalta o contraste do mobiliário italiano com o antiquariatto.

Em seguida, chegamos no living criado pela In House Interiores. A dupla Betina Barcellos e Andréa Bugarib desenvolveu um ambiente com ares de loft nova-iorquino graças à parede de tijolinhos. Do lado oposto o grande destaque: as paredes azuis adornadas com boiseries.

 

 

David Bastos é o nome por traz do ambiente seguinte. Chamado de “Um espaço para relaxar”, tira partido do conceito da mostra, mesclando mobiliário contemporâneo com itens antigos. Vale destacar a maneira original que o layout foi composto, com destaque para o sofá posicionado longe da parede e na diagonal.

 

O “Loft Tropical” do Wesley Lemos imprime brasilidade nos seus quatro cantos. Lá o destaque são os tons de verde, inspirados na fauna e na flora brasileira, e nas águas do Rio São Francisco. Puro luxo tropical!!

Bom, por hoje é isso! Espero que tenham gostado do nosso passeio superexclusivo pela DW! Design Weekend. E fique de olho na programação do evento para não perder nenhuma novidade 😉