26 de setembro , 2019

Millennials estão abraçando uma nova proposta de moradia, que atendem ao seu estilo de vida e padrão econômico.

 

Se você gosta de ler matérias sobre comportamento, muito provavelmente já se deparou com o termo Millennials. Também conhecidos como geração Y, eles representam os nascidos entre o início da década de 80 até o começo dos anos 2000. Exigentes e ligados às tecnologias, esses jovens estão também sujeitos a maiores pressões do ponto de vista financeiro, o que acaba por afetar o modo como compram e o tipo de suas habitações.

Segundo relatórios das consultorias Deloitte e WGSN sobre os Millennials, fatores econômicos, demográficos e culturais “estão transformando esses consumidores”.

Com menos dinheiro para sair de casa aos finais de semana, a geração Y está criando a sua própria economia doméstica. Ao invés de esbanjar em drinks e jantares em restaurantes, os jovens entre 23 e 40 anos estão investindo em itens que possam deixar seus lares mais confortáveis.

Esse, aliás, é um desafio para marcas, arquitetos e designers resolverem. Como criar maneiras criativas de entregar produtos, projetos e soluções que atendam à natureza caseira dos Millennials e que estejam dentro das suas realidades financeiras?

Para boa parte dessa geração, ficar em casa é o novo sair. Na era da ansiedade, esse também é um movimento para criar espaços que sirvam como refúgio mental, transformando a casa em santuário.

Sem estresse

De acordo com os dados da WGSN, os Millennials também estão abrindo mão de ter uma casa própria e ficam na mesma residência por aproximadamente seis anos. Isso tem impacto direto na compra e modelo de mobiliário que almejam para decorar e compor os ambientes. As peças até podem ser mais caras, mas a Geração Y considera a qualidade dos materiais, a consciência de compra e a cadeia produtiva.

O minimalismo também é um estilo muito presente na decoração para geração Y. Afinal, o “menos é mais” é muito apreciado pelas pessoas que prezam pelo consumo consciente.

 

Espaços flexíveis

Não custa lembrar que as novas tecnologias e serviços sob demanda estão transformando radicalmente as residências em espaços de trabalho. A ascensão da cultura do trabalho remoto exige ainda home offices flexíveis. Esta é a era dos freelancers que fazem trabalhos remotos e mesmo um escritório “caseiro” precisa ser aconchegante e prático.

Materiais Naturais

Como reação por estarem cercados por ruas caóticas e grandes centros urbanos, os Millennials também demonstram preferência por materiais naturais e plantas. No layout dos ambientes, apesar das menores metragens nos imóveis, espaços integrados ganham importância e a cozinha recebe novo status.

Como os encontros de amigos e familiares passaram a ser dentro dos lares desses jovens, que aprenderam a cozinhar, esse lugar é valorizado para que todo o processo de receber seja ainda mais convidativo. E tudo bem se estiver faltando um jogo de jantar ou uma cadeira.

 

Conteúdo exclusivo Habitus Brasil