17 de junho , 2019

A vida agitada e conectada que levamos indica a necessidade de tomar medidas para melhorar nosso bem-estar, e tudo isso pode começar onde passamos a maior parte do tempo – nossa casa

 

Todos os dias, as pessoas – especialmente nas grandes cidades – são bombardeadas por inúmeros estímulos. A necessidade de processar uma quantidade enorme de informações, mesmo no conforto de casa, têm estimulado muitas pessoas a buscar casas mais equilibradas e “limpas”. E é justamente esse novo purismo nos projetos de interiores, que revela formas simples, design organizado e elementos que se misturam harmoniosamente no ambiente, que vemos despontar nos projetos e mostras de decoração.

Esse olhar mais purista está muito presente nas cozinhas, onde muitos dispositivos e outros itens se reúnem. Contudo, quando bem armazenados ou “ocultados” permitem incorporar esse estilo. Muitas pessoas associam o purismo a uma aparência fria e racional, mas isso não significa que os ambientes precisam ser estéreis ou sem alma.

 

Durante anos, a cozinha foi definida pela linguagem que enfatizava a função. Mas termos como “conforto”, “elegância” e “arquitetura de interiores” foram adicionados a esses ambientes. Além disso, as cozinhas de hoje são conceitos espaciais integrados que, assim como a sala de estar ou um quarto, são projetadas para estimular o bem-estar de moradores ativos e conectados.

 

Purismo na cozinha e área gourmet

Se as cozinhas devem ser visualmente impressionantes e ainda permitir um espaço mais racional, elas devem ser projetadas de modo a terem menos efeito técnico e enfatizar os aspectos de conforto e estética. Isto pode ser conseguido, por exemplo, reduzindo a visibilidade de aparelhos e itens diversos com sistemas de armários. Veja detalhes do lançamento Octo, da Todeschini, que se recolhe na profundidade do móvel e permite criar espaços com design clean e estilo minimalista.

Com esse desenvolvimento em mente, prateleiras abertas ampliam a sensação de integração dos espaços e estão se tornando cada vez mais populares – em especial, nas unidades de ilha. As prateleiras de vidro ou frentes de armários que correm também podem ser empregadas para criar a sensação de purismo na cozinha. Aliás, o armazenamento oculto usual é uma forma inteligente de esconder eletros e itens de plástico, por exemplo; exibindo apenas os melhores utensílios, copos e panelas.

Os armários e gavetas também precisam ser corretamente projetados. Afinal, eletrodomésticos e pequenos utensílios precisam ter fácil acesso e armazenamento bem pensados. Vale lembrar, o design ergonômico da cozinha visa criar uma distância mínima entre a área de preparação, cozimento, despensa / congelador, assegurando a máxima eficiência da área de trabalho.

Bem-estar começando na cozinha

A demanda por uma aparência limpa nos projetos também pode ser vista como uma consequência estética de layouts de casas mais abertos; com a fusão das áreas de cozinha e estar. Ou mesmo a integração do ambiente gourmet ao living, proporcionando transições fluídas entre cozinhar, comer e viver bem. É claro que isso também depende muito de uma seleção equilibrada de cores, materiais e ferragens aplicadas ​​nos móveis para estabelecer um relacionamento harmonioso.

A adição de plantas e pequenas hortas internas também confere um olhar fresco e acolhedor, além de auxiliar na purificação do ar. Outro benefício consciente de ter alguma vegetação nos interiores é que eles dão a oportunidade de “curtir o momento”, enquanto rega e cuida deles. Mais do que nunca, precisamos fazer pequenas mudanças em muitos aspectos de nossas vidas para garantir que possamos relaxar e manter uma mente saudável.

E para você, as cozinhas também se tornarão oásis de bem-estar para os moradores, assim como os outros cômodos da casa? Compartilhe sua visão conosco.

 

Conteúdo exclusivo Habitus Brasil.

Mais conteúdos Hábitus Brasil:

Novidades e materiais inspiradores para ficar de olho

Tecnologia e design: a dupla que deu certo

Estas quatro tendências estão moldando o morar