26 de abril , 2018

O universo dos vinhos é apaixonante e conquista cada vez mais adeptos. Com as temperaturas mais amenas no outono e depois com o frio do inverno, o vinho esquenta e harmoniza com os pratos da culinária italiana e suíça, e com uma boa conversa entre amigos.

A América do Sul é referência mundial na produção de vinhos, com destaque para o Chile, eleito nos últimos anos por revistas especializadas como melhor vinho do mundo e quarto maior exportador mundial. Uma das explicações para variedade de castas de uvas e sua qualidade é a localização privilegiada do país, entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes, que protege os vinhedos das pragas. A uva Carménère é um exemplo, apesar de originária da França na região de Bourdeax onde foi extinta por pragas, a espécie trazida ao Chile se fortaleceu e virou símbolo do país.

Na rota sul-americana, os vinhos argentinos também encantam aos apreciadores. A região de Mendoza é conhecida como o berço do vinho argentino e possui a fama de produzir o melhor Malbec do mundo.

Com tantas opções, é fácil querer experimentar novos sabores e experiências. Na decoração, o vinho agrega valor com sua elegância e sofisticação, por isso, a realização do sonho de ter uma própria adega tem crescido entre os consumidores.

Os arquitetos privilegiam o estilo do morador na hora de projetar a adega. Adegas amadeiradas são clássicas e sofisticadas, podendo seguir diferentes estilos. Uma das preocupações na hora de projetar esse ambiente é com a umidade e com a luminosidade, fatores que provocam reações químicas na bebida, alterando a sua qualidade.

Tamanho ideal e escolha dos rótulos

Com um perfil de consumidores variado, as adegas também se adaptam aos estilos. Ambientes menores diminuem os tamanhos do mobiliário, mas também apresentam soluções autênticas e originais para quem não abre mão de ter as garrafas a mostra.

Se a residência permite, uma das ideias mais interessantes para os enófilos é estabelecer um cômodo como sua sala de degustação.  Nele, o projeto visa ressaltar a sensação intimista e acolhedora do espaço, perfeito para curtir um vinho sozinho, lendo um livro ou ouvindo uma música.

De acordo com sommeliers, uma adega mínima deve contar com no mínimo 12 rótulos, entre eles, 2 vinhos brancos mais leves (sugestão de uvas: Pinot Grigio, Sauvignon Blanc ou Torrontés), 2 vinhos brancos mais encorpados (Chardonnay ou Riesling), 1 vinho rosé, 1 espumante, 2 vinhos tintos mais leves (Pinot Noir ou Gamay) e 4 vinhos tintos de médio corpo ou encorpados.

ADEGA INTEGRADA AO AMBIENTE DE JANTAR

O verso da música Tom Jobim “é impossível ser feliz sozinho” manifesta o estilo de vida de quem faz questão de celebrar todos os momentos. O projeto de Adega Todeschini integra a sala de jantar com elegância e sofisticação, permitindo deixar à mostra o ambiente ou mais discreto com as Portas Passare.  O Amadeirado Victoria traz claridade para o espaço que tem a iluminação controlada.

Com uma adega dessas, só resta brindar.